Área de Conhecimento

Nesta secção há o compartilhamento de artigos, textos, opiniões e ideias sobre assuntos que envolvem a nossa sociedade como um todo de forma a permitir o desenvolvimento de uma opinião crítica principalmente sobre situações que envolvem o nosso dia a dia, não apenas como pessoas, em nossas relações mais próximas, bem como aquelas interações profissionais.

Hipertensão Arterial - Doença Silenciosa e Perigosa

A hipertensão arterial, comumente chamada pelo leigo, "Pressão Alta", é uma das doenças mais comuns na Medicina. Costuma aparecer na fase da vida em que o ser humano é mais produtivo. É muito encontrada no político, nos profissionais liberais, nos industriais, nos homens que se encontram em pleno desempenho de suas atividades sociais, independe de cultura, cor, sexo ou "credo". Chama atenção a forma como se manifesta, quando comparada a outras enfermidades. Enquanto estas se anunciam, de pronto, pelos seus sintomas, a hipertensão simplesmente não dá nenhum sinal de sua presença. Muitas vezes é "achado" de exame médico. E, assim, evolui em silêncio, ao longo dos anos, quando, devido ao seu caráter dinâmico, vai pouco a pouco causando graves lesões em órgãos vitais, tais como o coração, cérebro, rins etc., deixando-os insuficientes para cumprirem as suas funções, sem dor nem piedade, ao mesmo tempo que interfere no curso de doenças pré-existentes, quietinhas em seu canto e torna-as mais danosas e, como se ainda não bastasse, embora menos freqüente, desestrutura integralmente todo o organismo, quando, então, assume o caráter "maligno"( hipertensão maligna), - o que causa o óbito em curto intervalo de tempo. Sem nenhum exagero, é a doença das mais incapacitantes, se não diagnosticada com precocidade e tratada adequadamente. Desta forma,torna-se um problema de saúde pública. Mas nada disso precisa acontecer. Só que não deva ser negligenciada, como a sociedade a vem fazendo inclusive pacientes, estes talvez por não sentirem nada apesar de ser por ela afetado. Mas a Medicina está sempre de alerta para localizá-la e tem à disposição o maior número de medicamentos ( verdadeiro arsenal!) para combatê-la, o que não ocorre com outras enfermidades, inclusive chega até agir de forma individualizada, para evitar lacunas em sua atuação. É mãe cuidando de seus filhos para não os ver doentes, em fase muito complicada. O que é lamentável, todavia, é que, apesar de todo recurso que a Medicina oferece para que o hipertenso tenha a sua doença controlada, apenas 30% têm consciência dessa realidade e de seus benefícios. O que é um paradoxo.

 

A hipertensão arterial é de fácil diagnóstico. Basta aferir a pressão arterial. Se ultrapassa a cifras de 140/90 mm/Hg( 14 por 9) é um hipertenso. É simples exame físico, cuja realização para ser precisa, é necessário que se obedeça a alguns princípios, relacionados com o aparelho de pressão( bem calibrado), o ambiente( longe do local de trabalho, farmácia, rua etc.) e esteja o paciente bem preparado : um ritualzinho ! Todo o profissional na área conhece muito bem estes princípios.

 

Além dos medicamentos que deve tomar o hipertenso, para ter uma vida dentro da normalidade, é necessário que modifique alguns hábitos que lhes são nocivos, tais como eliminar o tabagismo( cigarro é um fator de risco para o coração e o cérebro), a ingestão de bebidas alcoólicas,o sedentarismo( recomenda-se praticar esporte, sendo o caminhar o exercício ideal), evitar o excesso de peso, o uso abusivo de sal e, acima de tudo, o estresse ( "a pressão alta copia o comportamento humano") e, seguir a orientação do médico, com o qual deva ter uma parceria objetiva, pois o profissional que o assiste, em si, se lhe converterá no melhor de todos os medicamentos. Acrescente-se que uma de suas formas, de causa conhecida, pode beneficiar-se com o tratamento cirúrgico ou similar.

 

Advertências:

Sr paciente, evite a auto-medicação, não siga orientação de leigos, siga a orientação de seu médico( não modifique a prescrição!), seja vigilante de sua própria saúde e tenha vida abundante e qualificada.