Área de Conhecimento

Nesta secção há o compartilhamento de artigos, textos, opiniões e ideias sobre assuntos que envolvem a nossa sociedade como um todo de forma a permitir o desenvolvimento de uma opinião crítica principalmente sobre situações que envolvem o nosso dia a dia, não apenas como pessoas, em nossas relações mais próximas, bem como aquelas interações profissionais.

Gerir Projetos é muito mais, ou muito menos, que adotar uma de Metodologia de Gestão de Projetos

Meados dos anos 2000.

Atuava em uma grande empresa brasileira, cujo principal foco era o desenvolvimento de projetos.

Por conta disso, havia uma grande relevância em metodologias relacionadas a Gestão de Projetos.

Naquele tempo, a empresa já possuía suas próprias metodologias que eram aplicadas com relativo sucesso.

Os projetos atendiam, ou não, suas metas, de acordo com as condições de mercado no momento e/ou condições pontuais de cada um deles.

A visão e o entendimento na empresa era que cabia, como sempre cabe, melhorar.

Foi neste tempo que uma reconhecida organização passou a considerar o Brasil como um dos seus principais focos de atuação.

Apresentava, e ainda apresenta, em seu portfólio, um processo de certificação de profissionais em Gestão de Projetos.

Para tal, apresentava, como ainda apresenta, no mercado uma metodologia de Gestão de Projeto, estruturada a partir, segundo ela, das melhores práticas de mercado e experiências de seus consultores associados.

A grande demanda por esta atividade, no entanto, decorreu principalmente do fato de uma das maiores empresas brasileiras, da área de Óleo e Gás, ter comprado esta ideia e passado a exigir junto aos seus editais de contratação, a presença de profissionais certificados pela entidade em questão.

Foi o grande auge das certificações.

A demanda pelos exames de certificação organizados por esta instituição foi gigantesca.

Associado a eles, os cursos preparatórios, em sua maioria ministrados por membros da própria instituição.

Com o tempo, no entanto, as organizações em geral identificaram a baixa aplicabilidade do modelo proposto no dia a dia de um projeto e por conta disso, adaptações se fizeram necessárias.

Mais que isso, modelos totalmente próprios e particulares a cada uma delas passaram a ser estruturados, tendo em vista, a efetiva obtenção de resultados.

Ainda assim, os processos de certificação continuaram em alta, sobretudo pela exigência dos editais desta grande empresa de Óleo e Gás.

Mais alguns anos, e ficou definitivamente comprovado a impossibilidade de se obter resultados efetivos por conta da adoção da famosa metodologia.

Logo o setor de Engenharia & Construção, inicialmente, a maior demandante, passou, quase que majoritariamente a deixar de lado os programas de treinamento em prol da obtenção da certificação.

O produto certificação, no entanto, logo achou nova morada, o segmento de Tecnologia de Informação.

Por conta, principalmente da prática já inserida e presente em seus profissionais de obter certificações.

Desde os primeiros tempos de atuação, há sempre certificações de diferentes sistemas, softwares, tecnologias e outras questões que possam demonstrar que o profissional está em constante evolução, sobretudo por conta de ser uma área com grande evolução tecnológica e inovação.

Aliás, o Brasil é o único país onde a área de T.I. domina em números relativos as certificações da citada metodologia.

Sua aplicabilidade neste segmento, no entanto, também é questionada pelos profissionais, por conta de sua pouca efetividade junto aos resultados obtidos e principalmente da grande quantidade de controle e áreas de conhecimento presentes.

Enfim, é factível considerar a importância de se utilizar uma metodologia de Gestão de Projeto que garanta que os processos internos da organização se façam presentes da forma devida.

Mas isso passa longe da adoção de um pacote metodológico de prateleira.

Gestão de Projetos é muito mais que isso ou, algumas vezes, muito menos que isso.