Área de Conhecimento

Nesta secção há o compartilhamento de artigos, textos, opiniões e ideias sobre assuntos que envolvem a nossa sociedade como um todo de forma a permitir o desenvolvimento de uma opinião crítica principalmente sobre situações que envolvem o nosso dia a dia, não apenas como pessoas, em nossas relações mais próximas, bem como aquelas interações profissionais.

Ingratidão, teu nome é Perigo.

Em 2015 faz 34 anos que minha família veio para Manaus.

Vindo de São Paulo, meu pai se tornou gerente de uma empresa de rádio e televisão.

Uma oportunidade.

Cresceu e evoluiu.

Depois de alguns anos se tornou diretor da fábrica.

Ganhou nome, se tornou um vencedor.

Pelo menos para nós da sua família.

Para ele algo efêmero.

O mais importante para ele era gente.

Seu maior orgulho sempre foi formar pessoas.

Foram muitas ao longo de tantos anos.

Meu pai tinha em particular um hábito muito humano.

Todos finais de semana, ia visitar funcionários e eventuais familiares que estivessem hospitalizados.

Eu mesmo o acompanhei várias vezes.

Para uma criança, uma chatice rs rs rs

Muitas vezes era recebido como alguém estranho.

Ainda mais pelo motivo de às vezes, sequer o próprio funcionário lá estava para reconhecê-lo.

Chegou a levar várias noivas ao altar, a pedido das próprias e até mesmo de seus esposos e pais.

Fez porque quis.

Se sentia bem com isso.

Este hábito não se limitava aqueles que estavam na capital baré.

Eu já morava em São Paulo, quando ele chegou em uma sexta-feira à noite para visitar a mãe de um funcionário.

Aliás, mais que isso, um amigo que ele meio que adotou como seu sucessor na empresa.

Naquele dia, a mãe deste funcionário passava seus últimos dias de batalha contra uma doença devastadora, o câncer.

Ele entrou no quarto e passou alguns minutos por lá.

Um cenário de grande tristeza.

Uma perda que se aproximava.

Ao sairmos uma cena que marcou.

O pai deste funcionário se aproximou ao meu pai e emocionado e balbuciou:

- Obrigado por cuidar do nosso filho em Manaus.

Algo de arrepiar e marcante.

Mais alguns dias o destino se fez presente.

Anos se passaram.

Luzes e Escuridões.

Algo implacável.

E a verdade, mais dura ainda.

Este funcionário, hoje ativo no cenário industrial local, omite o respeito ao meu pai.

Algo similar aos demais membros da minha família.

Duro viver com isso, mas o livre arbítrio permite isso.

Difícil manter alguma altivez.

A ingratidão é capaz de aguçar o que há de pior em nós.

O desafio é entender isso como um aprendizado.

Ainda que machuque.

Um Perigo em nossa vida.