Área de Conhecimento

Nesta secção há o compartilhamento de artigos, textos, opiniões e ideias sobre assuntos que envolvem a nossa sociedade como um todo de forma a permitir o desenvolvimento de uma opinião crítica principalmente sobre situações que envolvem o nosso dia a dia, não apenas como pessoas, em nossas relações mais próximas, bem como aquelas interações profissionais.

Perdas e suas comprovações de felicidade

Realmente não há como deixar de considerar as inúmeras perdas que sofremos ao longo de nossas vidas.

Com certeza cada um de nós tem ao menos uma história relacionada a isso.

Quem pode afirmar que não deixou escorrer lágrimas devido a alguma perda?

Pois muito embora ela seja dolorosa, a perda, de forma paradoxal, nos presenteia com uma camada protetora muito importante, como se fosse uma segunda pele, ou até mesmo, porque não dizer, uma primeira que serve de proteção para,......sim, para que possamos estar mais preparados para suportar novas perdas.

Bem, na verdade não é apenas para isso, no entanto, é possível afirmar que antes de sofrer com uma primeira perda, não temos, digamos, a cancha, suficiente para aceitá-la e talvez por isso, que muitas vezes é possível considerar que a relevância de cada perda que enfrentamos, muda ao longo do tempo.

Se nos primeiros anos de nossas vidas, a perda de um brinquedo favorito torna-se algo insubstituível, o que falar então quando recebemos um não daquele primeiro amor, ainda nos tempos de nossa adolescência. Ou então o que falar sobre aquela grande oportunidade profissional que foge de nossas mãos.

Não importa, qual seja a natureza, quando perdemos, sofremos e exatamente isso é que nos permite aprender, um pouco que seja, um passo de cada vez.

No entanto, há algo que ainda é pior do que perder, que sofrer por deixar escapar de nossas mãos aquilo que tanto desejamos e tínhamos.

O que poderá ser isso então?

Creio que com certeza, a impossibilidade de termos a oportunidade de sentir a dor de uma perda é algo muitíssimo mais doloroso.

Quantas pessoas não tiveram sequer a possibilidade de perder aquele presente que tanto quis. Ou então aqueles, e são muitos, que não tiveram a oportunidade de estudar e galgar oportunidades profissionais mais interessantes. Por fim, quem pode viver sem ter sentido amor por alguém?

Pois bem, por mais estranho que possa ser, são as perdas justamente as maiores comprovações sobre o quanto cada um de nós pode ter sido presenteado com oportunidades tão boas, que mesmo temporárias, muitas vezes de forma egoísta, teimamos em considerar.

Ou talvez, tenha apenas perdido uma grande oportunidade de ficar quieto.