Área de Conhecimento

Nesta secção há o compartilhamento de artigos, textos, opiniões e ideias sobre assuntos que envolvem a nossa sociedade como um todo de forma a permitir o desenvolvimento de uma opinião crítica principalmente sobre situações que envolvem o nosso dia a dia, não apenas como pessoas, em nossas relações mais próximas, bem como aquelas interações profissionais.

Porque errar, não é sinônimo de: ih f...

Quantos erros já cometemos em nossas vidas?

Inúmeros?

Sim, certamente.

E quantos ainda iremos cometer?

Muito mais, com certeza.

Minha avó costumava falar que só não erra quem não faz.

E ainda assim, ela completava, fazer coisa alguma é um grande erro.

Logo é fácil concluir que o erro está sempre conosco.

No dia a dia de nossa vida corporativa então, os erros são que permeiam o nosso caminho.

Ao desenvolver novas atividades ou projetos, os erros estão ao nosso lado.

E certamente há sempre alguma forma dos erros estarem ainda mais próximos de nós.

Quanto mais arrojados somos, por exemplo, sua ocorrência se potencializa.

Ao que parece então não tem muito jeito.

Muitos chegam a acreditar que se estivermos mais capacitados, evitaremos o erro.

Pois então...

Isto não é verdadeiro, simplesmente por conta de um fato irrefutável.

O nosso melhor e mais competente professor é justamente o erro.

O erro nos ensina até mesmo, na pior das hipóteses, para que possamos evitar a encontra-lo.

E por mais paradoxal que possa ser, quando tentamos evita-lo, perdemos muitas coisas.

Passamos a achar que inovar é arriscar.

Acreditamos que a busca por novas soluções é algo desnecessário.

E por ai vai.

Justamente por isso que o erro deve ser contemplado como algo inevitável.

Uma vez que tenhamos a consciência que ele faz parte de nossa atividade, cabe entender como devemos nos comportar diante dele.

Sendo assim, é indispensável que quando cometemos erros, devemos aprender algo com eles.

Identificar os motivos e razões que os provocaram.

Estudar as raízes que poderão nos firmar ainda mais em busca do objetivo traçado.

Jamais entender que o erro irá nos afastar de nossa meta, mas sim que contribuiu para nos deixar mais convictos que precisamos nos manter firme em nosso proposito.

Ter firmeza em nossa consciência que a questão que costuma atormentar não é o erro e sim sua consequência, que costuma não ter qualquer associação com o fato motivador de sua ocorrência.

 E tão pouco, podemos ter certeza disso, que apenas pelo fato de sua ocorrência que haja equívoco na meta traçada ou na estratégia adotada.

Afinal, há vários caminhos para o sucesso.

Alguns deles, mais curtos, nem sempre são os mais firmes.

Outros mais pantanosos e longínquos talvez nos leve a algo mais perpetuo.