Área de Conhecimento

Nesta secção há o compartilhamento de artigos, textos, opiniões e ideias sobre assuntos que envolvem a nossa sociedade como um todo de forma a permitir o desenvolvimento de uma opinião crítica principalmente sobre situações que envolvem o nosso dia a dia, não apenas como pessoas, em nossas relações mais próximas, bem como aquelas interações profissionais.

Sete dicas para sermos referência de conhecimento e competência.

Ao que parece o que muitos buscamos, e que realmente, pode ser verídico, é uma condição ou posição que permita sermos reconhecidos como pessoas que agregam valor em tudo aquilo sobre o qual nos predispomos a fazer.

Na verdade, há certo pleonasmo no título desta mensagem, uma vez que competência é o conhecimento posto em prática e é isso que realmente interessa no mundo corporativo, a forma como concentramos nossas experiências, obtidas das mais diversas maneiras, e as colocamos em prol do atendimento de nossos desafios e metas.

Diante disso, ei-las:

 

  1. O essencial não é ter conhecimento

Embora estejamos, naquilo que muitos chamam de Sociedade do Conhecimento, ter os conhecimentos necessários para desenvolvermos nossas atribuições e/ou atividades está longe de ser uma questão critica para o nosso sucesso profissional. Saber quem os têm e agir de forma a poder contar com estes possuidores é o grande diferencial competitivo para qualquer um de nós.

 

  1. Atrair os cabelos brancos

O meio mais eficiente de ter êxito na escolha do melhor caminho a ser seguido em nossa vida profissional, passa necessariamente em contar com a experiência daqueles que, em algum momento, já passaram por situação equivalente a nossa. Algo que apenas os anos são capazes de dar a um profissional, os erros e acertos que embranquecem e/ou, até mesmo, provocam a queda dos cabelos.

 

  1. Ter ideias não é Inovar

Representação mental de algo concreto ou abstrato que pode ser expressada através de uma opinião, intenção, predisposição, expectativa ou inovação, eis o significado da palavra ideia, e que pode ser encontrado em qualquer dicionário. Este conceito por si só nos permite garantir que a possibilidade de uma ideia sinalizar inovação é de 20%, na melhor das hipóteses.

 

  1. Gentileza gera compartilhamento

Por mais que não seja mandatório, certamente a forma como nos relacionamos com aqueles que nos cercam em nosso dia a dia é o fator critico de sucesso para que possamos contar com o arcabouço de conhecimentos, boas práticas, dicas e sugestões presentes nas cabeças destes nossos colegas. Somos seres e humanos, e, portanto muito suscetíveis àqueles que nos tratam de forma respeitosa e gentil.

 

  1. A verdade tem o poder de transformar, mais que isso, de formar.

Agir de forma verdadeira e única é a garantia que armadilha alguma irá nos surpreender tão pouco fazer com que desviemos do caminho certo. Seguindo este entendimento, achar que existe caminho fácil, baseado em ilações explícitas ou não, erros conceituais e até mesmo questões com valores, digamos, discutíveis só serve para termos uma certeza: um dia o castelo irá desmoronar e estaremos nele.

 

  1. Agrupar, sim. Formar guetos, não.

Socializar, eis outro grande segredo para que os conhecimentos possam fluir de forma natural e efetiva, algo que deve ter como intenção, ser infinita. Isto está há anos luz de distância da inadequada prática de formar grupos que atuam como se seus integrantes fossem os detentores de todos os conhecimentos necessários para a realização de quaisquer tarefas e/ou desafios. O conhecimento é democrático.

 

  1. Não considere a lista que acabou de ler como regra.

É temerário achar que há receita pronta que seja possível fazer com que alguém se torne uma referência profissional junto ao grupo em que atua. Mais que isso. Ainda se isto fosse possível eu duvidaria enormemente de uma lista feita por alguém que se ache capaz prepara-la. Sendo assim, considere para si aquilo que estiver alinhado com a sua verdade e siga em frente.