Área de Conhecimento

Nesta secção há o compartilhamento de artigos, textos, opiniões e ideias sobre assuntos que envolvem a nossa sociedade como um todo de forma a permitir o desenvolvimento de uma opinião crítica principalmente sobre situações que envolvem o nosso dia a dia, não apenas como pessoas, em nossas relações mais próximas, bem como aquelas interações profissionais.

Tomar Decisão, sem Coração, e sim com a Razão

Tomar Decisão, sem Coração, e sim com a Razão

A análise de um projeto principalmente quanto a própria decisão pelo seu desenvolvimento demanda de uma necessária análise da real viabilidade de sucesso do mesmo.

Não há como considerar que qualquer empresa, ou até mesmo pessoa, resolva seguir em frente em determinada ação, caso as chances de fracasso sejam significativas.

De qualquer forma, em alguns casos, a expectativa de uma maior lucratividade tende a permitir que certos riscos possam ser enfrentados.

No entanto, sempre é bom reforçar que, por mais que o ganho possa ser maior, não se pode “rasgar” dinheiro, portanto considerar as possibilidades de sucesso é uma situação crítica.

Semana passada, tive a oportunidade de conversar com um amigo recente sobre uma situação que ele enfrentava.

Cerca de 20 anos atrás ele, solteiro, era completamente apaixonado por uma amiga dele, na época, também solteira. Pois bem, naquela época, quando os dois estavam livres e desimpedidos, ela o mandou “passear”. Jamais voltaram a ser falar.

No começo do ano, voltaram a se encontrar em situações bem diferentes. Ele casado, assim como ela, que também tinha uma filha. Ao que parece nada de extraordinário, ao menos que seja digno de nota, aconteceu.

Diante esta situação, ele me perguntou sobre se eu achava se depois de tanto tempo, seria possível que ainda pudesse acontecer algo entre eles?

Confesso que por mais que esteja longe de ser um especialista em assuntos do coração, resolvi aplicar a metodologia de análise de viabilidade de sucesso.

Ao considerar o fato que quando o ambiente era favorável para que alguma coisa acontecesse, ela sequer considerou a possibilidade de ficarem juntos, qual a mínima chance de agora, quando há mais três importantes atores envolvidos, a mulher dele, o marido dela e a filha dela, de haver sucesso neste “projeto”?

Pois bem, para ele parece pouco importante esta análise, e infelizmente, ao que parece novamente o resultado, fracasso, voltará a acontecer.

Engraçado que no mundo corporativo, a mesma situação acontece.

Por mais que inúmeras evidências sejam comprovadamente apresentadas, quando o tomador de decisão quer, parece que é o que basta.

Uma pena e um problema, pois no ambiente empresarial você está trabalhando com o interesse e necessidades de milhares de pessoas, enquanto que na vida pessoal, no caso, apenas o coração de meu amigo.