Área de Conhecimento

Nesta secção há o compartilhamento de artigos, textos, opiniões e ideias sobre assuntos que envolvem a nossa sociedade como um todo de forma a permitir o desenvolvimento de uma opinião crítica principalmente sobre situações que envolvem o nosso dia a dia, não apenas como pessoas, em nossas relações mais próximas, bem como aquelas interações profissionais.

A relação entre o Segredo de Tostines, o Planejamento e a Gestão de Indicadores

 Alguns anos atrás, quando ainda era bem pequeno, havia uma propaganda de muito sucesso que se chamava: O Segredo de Tostines.

Para quem não lembra, Tostines é um biscoito ou bolacha (sei que há diferenças), tradicionalmente, de água e sal, produzido pela Nestlé.

O grande segredo de Tostines estava associado ao fato de estar sempre fresquinho.

O segredo?

Tostines é fresquinho porque vende mais?

Ou, Tostines vende mais porque está sempre fresquinho?

Impossível dizer.

A verdade, no entanto, é uma só, gostando ou não dele, sempre ao morder se ouvia um barulho.

Isto é, estava sempre fresquinho.

Sim, pois se não fizesse barulho, como minha mãe ainda fala, estava ‘passado’.

Cresci comendo Tostines.

Não cheguei a conclusão alguma.

Estudando ou trabalhando sempre havia um tempinho para saborear um biscoito ou bolacha (ainda não fui pesquisar a diferença).

Frase meio bucólica rs rs...

Fiz parte de inúmeros projetos.

Em várias frentes.

Minha escola profissional sempre me ensinou, qualquer projeto demanda planejamento.

Obvio.

Esta mesma escola também tinha outra premissa, mais obvia ainda: só podemos gerir aquilo que se pode medir.

Pois bem... premissas existem para sempre seguidas.

Todo projeto precisa ter um planejamento.

Ele definirá, principalmente, os recursos, os prazos e as atividades a serem desenvolvidas.

Gerir este planejamento é algo mandatório para que possamos ter um projeto que atenda suas metas, segundo os recursos, prazos e atividades definidas.

Mai...

Se não precisamos atender metas, o que temos?

A adoção de indicadores se torna algo mais que obrigatório.

Não existindo indicadores, não sabemos o andamento de coisa alguma.

Para o sucesso ou fracasso, não temos clareza para onde estamos indo.

Sendo assim, cabe considerar que o planejamento é algo que nos permite gerir algo. E que para isso, usamos os indicadores.

Ou seria o contrário, por precisarmos de indicadores, que nos mostre para onde estamos indo, precisamos planejar?

Será que mais uma vez a lógica do Segredo de Tostines está se sobressaindo?

Pois é, seja o que for.

Assim como no caso do biscoito ou bolacha, o barulho já sinalizava seu diferencial competitivo, o estar sempre fresquinho, a existência, ou não, de um planejamento e/ou de indicadores sinaliza o nível de importância que se está dando ao atendimento das metas.

Se não há planejamento e/ou indicadores, nada está fresquinho ops... isto é não há sequer projeto