Área de Conhecimento

Nesta secção há o compartilhamento de artigos, textos, opiniões e ideias sobre assuntos que envolvem a nossa sociedade como um todo de forma a permitir o desenvolvimento de uma opinião crítica principalmente sobre situações que envolvem o nosso dia a dia, não apenas como pessoas, em nossas relações mais próximas, bem como aquelas interações profissionais.

Faltou a igreja e foi ao cinema

Um sacerdote ascético, devoto da filosofia de vida na qual são refreados os prazeres mundanos, isolou em uma caverna um grupo de jovens aspirantes ao serviço religioso no intuito de obrigá-los a jejuar. No outro dia, quando veio apanhá-los, o velho percebeu alguns fragmentos de cascas de ovos espalhados pelo chão. Ao indagá-los acerca da “quebra do jejum”, ouviu a seguinte resposta: “O diabo tentou-nos. Achamos alguns ovos de codorna e os cozinhamos em uma colher aquecida por uma vela e acabamos comendo”. Conta-se que, na mesma hora, satanás apareceu e defendeu-se: “Nem eu sabia que dava para cozinhar ovos usando uma pequena colher e uma vela”. Rsss...

Se tivermos a compreensão plena das orientações vindas das Escrituras Sagradas vamos perceber o quanto precisamos melhorar e quanto elas nos trazem infinitos ensinamentos! A Palavra nos dá maturidade para nos apercebemos, por exemplo, que o pavor dos discípulos não estava no tamanho da tempestade que enfrentavam, enquanto o seu Mestre dormia. O pânico maior veio depois, ao constatar o poder que o filho do Criador tinha em acalmar as ondas e o tamanho da paz que ele trouxe. Os pregadores atuais quase não “detalham” isso. 

No mundo hoje, tristemente, os grandes erros alheios quase sempre nos deixam à vontade para cometer delitos tidos como “pequenos”. Na nossa cabecinha tudo parece absolutamente aceitável, não é mesmo? Mas, não é! Por detalhes temos perdido o melhor para as nossas vidas. Sobre os motivos que levam as pessoas, por exemplo, a se ausentarem das igrejas. A faltar! Poucos são realmente relevantes. A maioria das desculpas é por causa da preguiça! Mas, existem ainda outros “argumentos” que nos tiram da direção do Criador. Outro dia, um amigo disse-me que faltou ao culto “porque resolveu assistir a um filme”. Não é interessante este pretexto? 

Penso que, em nenhum outro momento da história contemporânea, se congregar numa igreja em torno das verdades do Criador se tornou tão imprescindível como agora. É uma necessidade primordial a quem deseja uma postura casta e a redenção espiritual. Certa feita, li num pequeno catálogo de uma igreja, o alerta: “A vida não é uma paisagem que olhamos por alguma janela enquanto o tempo nos abandona.” Precisamos aproveitar bem o nosso pequeno período por aqui reverenciando o Criador. Desta forma, que tal você ir a uma casa de oração hoje?  

Infelizmente, os bons sentimentos dos homens estão sob uma camada de gelo de diferentes espessuras. Isso não se refere apenas a quem ouve a mensagem de Deus! Também, a quem prega, independente do segmento a que pertença. Há mais ou menos seis anos, um homem entrou numa loja famosíssima nos Estados Unidos e cometeu um delito inexpressivo: roubou uma gravata. Poderia ser apenas repreendido pelos seguranças! No entanto, descobriu-se que ele era um dos mais destacados líderes dos Direitos Humanos no mundo e de comunidade religiosa. Perdeu seu trabalho, sua posição e sua credibilidade. E sumiu da mídia! Pessoa de moral ilibada até então que caiu, apenas por não observar um diminuto detalhe, não é mesmo? 

Agora, preste atenção e divulgue onde você achar que seja útil! Pode ser na sua casa, na sua escola, no seu trabalho, numa praça, na sua igreja ou no seu local de orações. Toda a violência, todas as mortes brutais que já existiram, existem e ainda vão acontecer; todos hospitais e seus pacientes cheios de dores; todas as prisões com os mais bárbaros delinqüentes e suas celas solitárias; toda a amargura e ira das pessoas somente existem por causa de um detalhe: “comer o fruto”. Todo o mal do mundo está ligado a este simples ato de desobediência ao Criador que aconteceu lá no princípio, no Éden. Não é matar, estuprar ou espancar alguém! Não é guerrear com alguém!!! Comer o fruto foi a rebelião da Humanidade contra a Santidade de um Ser Supremo e Infinito. Medite, reflita, considere, pense nas coisas que parecem ser detalhes; a ausência nas celebrações e cultos ao nosso Criador na igreja é “comer o fruto”. É sério, isso...