Área de Conhecimento

Nesta secção há o compartilhamento de artigos, textos, opiniões e ideias sobre assuntos que envolvem a nossa sociedade como um todo de forma a permitir o desenvolvimento de uma opinião crítica principalmente sobre situações que envolvem o nosso dia a dia, não apenas como pessoas, em nossas relações mais próximas, bem como aquelas interações profissionais.

Precisa-se de serventes de pedreiros

 

Rapaz! É muito difícil encontrar alguém disposto a trabalhar nesse serviço mesmo pagando o valor que o mercado dita. Às vezes até mais! Eu sei que tem gente ruim, mas tem gente boa, também. Lembro-me, por exemplo, de uma obra que fiz lá perto da Cecap. Olhando para o infinito, ruminando palavras, o pedreiro prosseguiu triste: Era mais ou menos umas nove ou nove e meia da manhã. Não marquei bem o horário! Apareceu por lá um sujeito trajando roupas batidas, desgastas. Era magro, estatura média e cabelos despenteados. Recordo-me que tinha um rosto fino e um bigodinho parecido com o do Hitlher. Você sabe? Bem... Ele me propôs ajudar, trabalhar por meia diária, ou seja, por meio-dia de serviço, pois precisava do dinheiro. 

O pedreiro esclareceu que labutava com mais um profissional naquela edificação, com outro construtor, mas não havia especificamente alguém que fizesse a parte de servente. Como não tinha nada a perder, contratou o tal estranho sem muita esperança de que fosse ser útil; fez isso mais por um gesto de bondade mesmo. Disse que: Olhou para o sujeito e teve pena dele! Todavia, confessou que aos poucos foi sendo surpreendido com o resultado de sua boa ação. Observava que o rapaz servia a ele e ao outro construtor, preparando concreto em abundância. Enquanto isso, nos intervalos da fabricação da massa, assentava tijolos. E curtiu em cal com a betoneira um punhado bom de areia fina. Um monte assim, gesticulou com as mãos na horizontal a altura do outeiro. Uma maravilha... 

Percebendo o que a construção precisaria, o novato rapidinho mediu, cortou e montou amarrações de caixas de ferragens ao ponto de, quase toda viga baldrame da planta baixa ficasse pronta, já que tinha uns 50 m2. O pedreiro contou que, em poucas horas, o serviço rendeu como se tivessem trabalhado três dias. E prosseguiu: Imaginei assim... Deus me enviou uma pessoa abençoada, capaz para me ajudar a fazer rápido essa obra. Agora, já alegre, continuou: Ao meio-dia, aquele que eu pensava ser apenas um meia-colher como são chamados os iniciantes da área, me pediu um adiantamento para comprar um marmitex. Insisti para que viesse comer com a gente. O novato se desculpou e disse não. Afirmou que compraria o seu almoço no restaurante, na Churrascaria do Toninho. E o pedreiro concluiu: Dei R$ 30 para o camarada.